fbpx
Kali

A mãe Kali

Kali Ma, como é conhecida pela maioria de seus devotos, possui uma imagem que pode causar uma forte impressão num primeiro momento, no entanto, Kali, é atualmente a forma divina feminina mais popular na Índia, e até em países do Ocidente, Kali Devi ganhou popularidade.

Os devotos de Kali, carinhosamente a chamam de mãe, assim como uma mãe, Kali protege seus devotos com todas as forças, mas também não mede esforços em aplicar medidas corretivas caso seus filhos estejam agindo contra os princípios dharmicos.

Kali é conhecida pelo seu grande poder de destruição, uma aspecto necessário para que ocorra renovação e transformação, ela destrói a nossa ignorância e obscurecimentos, e nos direciona em direção a iluminação.

Durga liderava as oito Matrikas numa batalha contra o asura Raktabija –  Narasimhi, Vaishnavi, Kumari, Maheshvari, Brahmi, Varahi, Aindri, Chamunda or Kali (bebendo o sangue dos asuras).

Durga e suas assistentes, as Matrikas, conseguiram ferir o asura Raktabija com todas as armas que tinham na tentativa de destruí-lo. No entanto, logo elas perceberam que toda vez que as gotas do sangue de Raktabija caiam no chão, um novo clone dele era produzido. Durga, precisando de ajuda, invocou Kali para combater os asuras. Em algumas versões, é dito que Durga na verdade assume a forma de Kali. No livro sagrado, Devi Mahatmya, a batalha é narrada da seguinte maneira:

“Do terceiro olho de Durga, com extrema ferocidade, surge Kali com uma expressão terrível, armada com uma espada e um laço. Carregando uma kathvanga (bastão com um crânio em seu topo), adornada com uma guirlanda de crânios, vestida com uma pele de tigre, com uma aparência emaciada e temível, com a boca aberta, língua para fora, tendo olhos avermelhados, preenchendo os céus com seus urros, descendo dos céus com extrema força e matando todos os grandes asuras no exército, ela devorou todos eles”.

Kali destruiu Raktabija sugando todo o sangue de seu corpo e colocando todos os seus clones em sua boca. Satisfeita com a sua vitória, Kali dança no campo de batalha, pisoteando os cadáveres no chão. No texto sagrado Devi Mahatmya, Kali é também descrita como uma Matrika bem como uma Shakti ou poder de Devi. A ela é dado o epiteto Camunda (Chaamundaa), a destruidora dos asuras Chanda e Munda. Chamunda é frequentemente identificada como Kali e se parece muito com ela em aparência e hábitos.

Kali pode ser adorada todos os dias, sua energia se faz mais presente nas terças e sextas-feiras. Para agradar Kali, podemos oferecer flores vermelhas, principalmente hibiscos frescos, lamparinas e recitar o mantra de Kali क्रीं कालिकायै नमः  (Om Kreem Kalikaye Namaha), 108 vezes com um mala de rudraksha, preferencialmente à noite ou antes de o sol nascer.

Kali destrói todos os nossos inimigos, sejam eles, internos ou externos. Não há entidades malignas ou trabalhos de magia negra que resistam ao poder de Kali, a mãe invencível que destrói o mal.

 

Namastê!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *